sábado, 13 de junho de 2009

Feeling good

"(...) Yeah, its a new dawn its a new day its a new life for me ooooooooh AND I'M FEELING GOOD... "

Tocava essa música e eu dançava juntinha com um amigo de infância, a festa estava apenas começando... Dançava de olhos fechados enquanto sentia a música. Assim que abri, reparei que um homem me olhava. Continuei dançando coladinha ao embalo da música e meu amigo cantando e dançando, coisa que ele sabe fazer muitíssimo bem. Meu sexto sentido virou meu rosto para o homem que me olhava novamente... Ele sorriu e eu retribuí. Comecei a sacar a maldade dele.
Ele me chama para a dança e eu aceito. Trocamos de pares. Claro, veio como um perfeito cavalheiro e eu não pude evitar a troca de olhares e nem deveria. Para quê? Ele dançava gostoso, encostei minha cabeça no peito dele enquanto dançava e ele aproximava meu corpo cada vez mais. O ritmo mudou, continuamos dançando e sentindo nosso corpo como há muito não sentia. Pensei naquele momento que todo mundo deveria sentir aquilo, era uma sensação daquelas que por estar tão próximo do nosso conceito de perfeição, dá um arrepio de comodidade. Quer saber? Indescritível e ponto.
A batida aumentou, ele me puxava com mais força e dançamos nos encarando por diversas vezes. Como se uma raiva sem motivo invadisse nosso corpo e precisássemos extravasá-la em alguém, muito provavelmente naquele estranho que estava a minha frente e sentia aquilo que não deveria sentir. Se alguém pode descrever o que sinto, esse alguém só pode ser eu e estranhamente, sei que ele pensava e sentia o mesmo.
Sem se preocupar se era o que eu queria, pois ele simplesmente sabia, ainda dançando me jogou contra a porta do banheiro com força, e a abriu, me empurrou, entrou e trancou a porta. A música abafada deixava nossa respiração mais alta do que queríamos.
Ele levantou minha saia, empurrou minha calcinha para o lado colocou a língua para conhecer meu sexo, enquanto isso, coloquei meus dedos dentro de mim e me sentia super molhada, ele apoiou uma das minhas pernas na tampa do vaso e esqueceu da vida enquanto brincava com ela. Meus olhos se fecharam, queria sentir mais, pensar que o tempo pararia ali, mas meu corpo queria avançar... Puxei ele pelos cabelos, ele levantou e eu que me abaixei. Com uma fome de leão, engoli ele todo, lambuzei e o fiz ficar louco e cada vez com mais vontade, antes que eu terminasse, foi a vez dele de me puxar pelos cabelos.
Me colocou em cima da pia, me deixava na altura certa pra ele me foder. Abriu bem minhas pernas e enfiou aquele caralho já todo molhado na minha boceta, ia fundo e eu gemia de prazer, ele sabia como foder gostoso. Colocava bem devagar enquanto me beijava com força, roçando aquela barba no meu rostinho delicado que ficava cada vez mais vermelho. Resolvi sair da pia e fiquei de costas pra ele, de pé. E assim ele me comeu, olhando para minha bunda, que não é nadinha pequena. Ficou louco e percebi que logo logo ele ia gozar, não iria aguentar. como eu já estava mais do que molhada de tanto que gozei com aquele estranho, ajudei-o a gozar comigo. Enpinei ainda mais minha bunda e falei que queria com mais força, ele como um bom menino, enfiava aquele mastro bem duro e molhado dentro da minha bocetinha, gemia alto, não conseguia me conter, eu ia gozar mais uma vez, ele realmente sabia o que estava fazendo, ainda que não soubesse. Nos olhamos no espelho que ficava na minha frente, em cima da pia e foi o momento que a respiração parou, o coração pulou e conseguimos gozar juntos, ejaculei ao mesmo tempo e escorria nossos líquidos por nossa perna, nosso suor pelo corpo e nosso sorriso ficou estampado, congelado naquele espelho.

Yeah, its a new dawn its a new day its a new life for me ooooooooh AND I'M FEELING GOOD...