segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Eu salivava


O lugar era estranho. Haviam luzes frias, uma iluminação azul, roxa, não sabia direito que cor era.
Um som ligado a respirações tocavam no ambiente, alguns cacos de espelho colados na parede. Uma fumaça de incenso e um cheiro aconchegante que me levava a caminhos nunca antes sentidos.
O chão era branco e preto, intercalado. Uma mistura que não se misturava, mas andavam lado a lado.
Onde eu estava? Quem eram os homens que me olhavam em volta?
Olhei para o lado e ele me passou a bebida. Era um tipo de azul royal. Bebi sem saber o que tinha ali, até tudo começar a ter textura forte, o ar também tinha uma "pele", o som passou a ser alto e alguém puxava meu cabelo de leve, me deixava ofegante, misturando minha voz com a música,  parecia que todos poderiam me ouvir.
E parece que ouviram.
Vieram com força, tesão. Eram paus rosados, pretos, grandes, pequenos, grossos, finos, mas todos com veias pulsando e apetitosos.
Eu salivava.
E ela pulsava por mais.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Votem no AMARELINHA

Galera, seguinte: Meu sonho desde o ventre da minha mãe, ter um livro só meu, um que co participei já tenho dois, maaaas, esse seria no melhor estilo #Amarelinha, ajudem o amarelinha a virar o livro de cabeceira de vocês, prometo que se ganhar, premiarei alguns por aqui, além de presentear os leitores mais fiéis... =)

Clique aqui para votar

Ajudem, divulguem e votem, pode votar QUANTAS VEZES QUISER até dia 12/09!!! Ok?


Beijos e queijooos, amanhã, nova atualização!!! uiuiui, isso aqui cada vez mais quente, do jeitinho que gosto!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Exercício pode ser bom!


Exercício pode fazer bem para o corpo, alma, saúde e para os olhos de quem vê, não acham?!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Garganta Profunda

Havia um tempo que ela não fazia algo com tanto gosto. O casamento os afastou sem querer. Mas naquela noite ela o queria e ele sempre a via com gosto, prazer...
 Ele chegou do trabalho, gritando um "cheguei", sem nem olhar para os lados, quando ela finalmente respondeu do sofá e ele olhou, a viu nua, sem nenhum brinco ou maquiagem como gostava de se enfeitar em noites mais quentes.
Estava sedenta por ele e queria que fosse natural, sem pretensão de parecer uma modelo, apesar do corpo escultural que ela carregava.
Correu até ele e sem nem dar um beijo, ajoelhou e o fez ficar boquiaberto.
Abriu a calça como quem no fundo queria rasgar, jogar fora, se livrar daquele embrulho que carrega enfim o esperado presente. E o engoliu todo. Sedenta daquela carne, daquele gosto, daquilo que a preenchia como nada mais fazia igual.
Fez do jeito que ele gostava, com mais força, sugando e engolindo ele, lambendo a cabeça com delicadeza, babando no pau do homem que acabava de chegar cansado e não esperava por aquela recompensa...
Ele entrou na brincadeira e ficou vendo de cima, ela ajoelhada implorando por ele, que estava rígido de tesão, ele deu um tapinha na cara dela a mandando continuar. Ela obedeceu.
Ele segurou seus longos cabelos cacheados e a ajudou a engolir seu membro que nesse momento pulsava de tesão. Ela ia até a garganta com muita vontade, o engolia e babava sem reclamar, tinha cara de quem estava quase gozando só ter seu macho na sua boca, era dela, todo dela naquele momento. E ela aproveitou.
Engolia cada vez mais forte, babava mais, fazia movimento de vaivém gostoso e ele já estava começando a gemer, estava prestes a dar o merecido prêmio dela, aquele que iria a satisfazer.
Ela continuou, ele puxava o cabelo mais forte e assim ela o chupava mais, sua boca já estava dormente, mas ela continuava e olhava pra ele, com olhar de quem pede pelo seu gosto. Ele começou a foder de vez na boca, fodia com sua garganta, se lubrificava com sua baba, puxava seus cabelos, gemia de prazer, fazia um vaivém gostoso, até que... Sua respiração parou e seu coração acelerou, suas pernas ficaram bambas e enfim ele jorrou o mel dos deuses na boca da sua mulher... Ela fazia cara de safada e lambia cada cantinho da boca pra não desperdiçar seu mel, o mel que ela tanto esperou naquele dia...
Ele sorriu e se jogou no sofá, pensando que essa coisa de garganta profunda é realmente muito gostoso.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Amarelinha

Amarelinha em breve com novos textos e quem sabe layout...

E fotos claro, para apimentar a imaginação...

Beijos molhados.