sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Recheio



    Ele a observava enquanto ela falava da sua vida. Era um amigo com benefícios e normalmente eram muito cúmplices.
    Dessa vez ela o chamou para sua casa, deixou ele de pé e toda nua, ela se deitou no sofá com as pernas pro alto e começou a divagar... Sobre seu futuro, seus planos, sua solidão, família, seu passado e enfim chegou a lembrar de quando eles se conheceram, ele sorriu, sabia que na época, era louco pra comer aquela menina e achou que nunca ia conseguir, até que uns meses atrás, a situação mudou.
    Ele já estava louco a vendo nua na sua frente, mas tendo que esperar o momento de atacar.
    Sorriu novamente enquanto a admirava. Já não prestava mais atenção no que ela falava e achava que ela já estava o provocando mais do que devaneando também.
    Então ele decidiu a interromper enquanto deu passos largos ao seu encontro. Ajoelhou no chão de frente para o sofá, pediu que ela fechasse os olhos e só curtisse aquele momento. Ela sorriu, assentindo.
    Acariciou todas suas costas com delicadeza, massageou seu ombro, desceu para as costas e chegou a bunda. Seus olhos chegaram a brilhar com tanta carne.
    Enfiou um dos dedos nela e cuspiu para deixá-la bem molhada, ela se contorceu e gemendo levantou ainda mais a bunda pra facilitar seu prazer. Ele ainda com o dedo dentro, começou a lamber sua buceta que estava bem quente e molhada, ela gemia e curtia cada momento ali, se entregando totalmente a ele enquanto aquele momento se eternizava...
    Depois, ela virou de frente pra ele, sentando no sofá e ficou bem na ponta, esperando que ele a chupasse toda, e assim ele entendeu. Chupou cada pedaço dela, esfregou a cara, se lambuzou e pensou que ali era o recheio dela, que ali era a parte que ele mais gostava, mas claro que ele gostava de todo o pacote, mas o recheio... Esse sim era saboroso! Tinha gosto e textura diferente, era fresca, vermelha, trêmula e molhada... Do jeito que ele sempre gostou.
    Enfiou um dedo dentro daquela buceta, ela abriu ainda mais as pernas, gemendo. Enfiou o segundo, esperando a reação e o gemido foi ainda mais alto, então resolveu enfiar o terceiro e parecia que ela ia gozar a qualquer momento.
    Sabendo que deixá-la gozar sem sentir o seu sabor seria um desrespeito e desfeita com o que ele acreditava ser o recheio, começou a lamber o pacote, inteiro e sem pudor, sem tirar os dedos. Fez o movimento de vaivém e a chupava cada vez mais forte, mais intenso, e ele continuava, fodia com toda força que podia, até que ela deu um grito e se contorceu toda, fugindo das mãos dele... Ela gozou.. E ele a chupou toda...
    Ela ficou fraca, caída pelo sofá, sem conseguir abrir os olhos, com a respiração ofegante, e ele se preparava pra agora sim, comer o pacote inteiro... Começou a tirar as calças...
    Ela ia ter que aguentar aquela gula...
   
   

2 comentários:

SinneR disse...

esse teu texto deixa[me] louco...

bj doce

Amante da Vida disse...

Ela que se cuide ... pois vai subir paredes ...