segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Carta do cacique

"A terra não pertence ao homem; é o homem que pertence à terra. Disto temos certeza. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. Tudo está relacionado entre si. O que fere a terra fere também os filhos da terra. Não foi o homem que teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará"

(Trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente Pierce dos EUA em 1855 depois de o Governo haver dado a entender que pretendia comprar o território ocupado por aqueles índios. )

“Depois que o último homem vermelho tiver partido e a sua lembrança não passar da sombra de uma nuvem a pairar acima das pradarias, a alma do meu povo continuará a viver nestas florestas e praias, porque nós as amamos como um recém-nascido ama o bater do coração de sua mãe. Se te vendermos a nossa terra… protege-a como nós a protegíamos. Nunca esqueça como era a terra quando dela tomou posse…”


E ainda acho que esta carta continua mais atual do que nunca. Pensemos nisso.

2 comentários:

Nathalia disse...

fasã un comentáril
HAHAHAH

ae, show de bola esse blog, mina.
tú é maior fodinha!


TE AMOOO

nat

Darth_Fred disse...

Como diria Al Gore - "as palhaçadas da Paris Hilton chamam mais atenção do mundo do que os problemas do aquecimento global" (não são as mesmas palavras dele, mas a idéia é a mesma)

Ponto pra reflexão realmente!!

Bjos