terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Um minuto



Um minuto. Esse é o tempo necessário para que tudo à sua volta mude. E o que é viver mesmo hein? Acho que essa é uma questão para se pensar. Como viver, temos muita coisa para falar: “Ahh, eu vivo intensamente, só o hoje, sem pensar no depois...” e blábláblá, mas você já parou para pensar para quê você vive? Não, não to revoltada querendo mostrar que não servimos para nada, ao contrário, acredito que todos que estão aqui ou em qualquer outro lugar do mundo é para estar, mas o ponto é outro. Sabe quando vem um pensamento que te atordoa e não sai da sua cabeça? Pois é, esse dia me veio à cabeça: E se a gente vive para se recuperar? Nós, seres humanos estamos em constante metamorfose, nunca satisfeitos com nada, essa é a mais absoluta verdade, ou, sempre nos falta algo, por mais feliz que estivermos, mas aí... Boom! Viver para nos recuperar? Recuperar-nos do tempo perdido, de um amor inacabado, de uma paixão platônica, de uma doença, de uma briga, de um acidente, de uma raiva, de um dia estressante, de um medo, de uma tristeza ou até mesmo de uma história emocionante e da alegria... As pessoas exigem isso de nós e não tem como fugir por longa data, e então se descabele! Jogue suas pernas para o ar e vire sua vida de cabeça para baixo, pois é a única saída...

10 comentários:

Inspirações disse...

Gostei muito do seu post.

Um grande abraço, de um novo amigo...

Carolina Diniz disse...

Adorei o seu blog. Você arrasa quando escreve.
Beijos

Andressa Xavier disse...

também gostei do seu post.

e sobre a vida, nós que nos obrigamos a viver :)

Penélope Chiz disse...

ual, esse texto é um pouco parecido com um que escrevi! gostei muito! ;)

Penelope Chiz disse...

ual, esse texto é um pouco parecido com um que escrevi! gostei muito! ;)

Penélope Chiz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LeoChaves disse...

1 minuto? A ideia é brilhante, mas me passou pela cabeça que esse 1 miuto na real é o tempo que levamos pra despertar e perceber que milhares de coisas mudaram em uma quantidade maior de tempo e nao nos davamos conta.
Até o `ultimo` minuto...


E viva a filosofia...

Tião Martins disse...

Um minuto! É o que a gente precisa pra gostar de Ludmila, rs.
bjs

. Marina Bonesso disse...

Concordo quando você diz que em um minuto tudo muda. É a mais pura verdade realmente.

Humberto Camargo disse...

Nos descabelar ou não se importar tanto com nós mesmos, talvez isso inicia-se uma mudança positiva no mundo, que refletiria sim em nossas vidas.
Parabéns pelo blog.