terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Fantasia


Sua vida estava tão monótona, sem graça... Ela passava os dias inteiros olhando para as árvores e para as nuvens em seu balanço, mas então ela percebeu que tudo tinha formas um tanto quanto eróticas... É, havia meses que ela não fazia absolutamente nada. Vai ver seu corpo já estava entrando em erupção. E então, ela se lembrou de um amigo que ela sempre achou interessante, era um cara novo, mas muito inteligente e maduro. Já era chefe de uma agência que trabalha com a polícia, ele nunca citou o nome. Andava como um policial, fardado, com armas e algemas pela cintura. E a maior fantasia dela era essa. Um policial todo fardado que fosse a casa dela devido a uma denúncia de tentativa de estupro e fizesse tudo o que o cara deixou de fazer. A obrigando com uma arma. E ela, como uma menina indefesa faria tudo o que ele quisesse com medo de morrer. Mas isso seria muito complicado, ela sabia que seria difícil. Mas resolveu tentar.
Tomou um banho bem quente e já durante o banho deixou que o sabonete passeasse por todo seu corpo nú, escorregando, bem macio. Tocou-se sem pudores e deixou seu prazer escorrer. Terminou seu banho, se enxugou e ligou para seu amigo do qual ela se lembrara mais cedo e que sabia que sempre estaria disponível para ela. Ele, como esperado, adorou a idéia e disse que em pouco chegaria. Ela desligou e colocou um vestidinho simples, desses de ficar em casa, mas não pôs a calcinha. Deixou seu sexo livre. Depois, ele chega. Ela atende e começa sua fantasia. Disse que entrou um homem na sua casa e que tentou abusar dela à força. Ele, já entendendo o que ela queria, entrou na brincadeira. E imitou os fatos que ela relatou. Apontou sua arma para ela, a prendeu com suas algemas e tirando sua roupa a fez provar seu sabor... Ela se fez de assustada e ele colocou uma arma em seu peito ordenando que ela ficasse bem caladinha. Enroscou a mão em seus cabelos, deu um tapa bem forte em seu bumbum a colocando como uma gatinha de quatro. E levantando seu vestidinho abusou dela de forma bruta. Parecia um animal que queria aquilo tudo agora, puro instinto. Mas ele percebeu que ela estava adorando, quase deixava escapar um sorrisinho safado e assim a puniu, batendo de novo nela, apertando seus seios com força... Ela não aguentando, gemeu bem alto e seu líquido jorrou. Ele vendo aquilo, não aguentou também. Soltou sua arma, segurou em sua cintura com força e de forma selvagem gozou dentro da sua presa.
Os dois se abraçaram e começaram a rir do que havia acontecido...

11 comentários:

Michael Castro disse...

Faltou acender o cigarro, abrir uma gelada e falar pra ela: "frita um bacon pra mim...".

Curti mocinha! Parabéns ;)

Carolina Diniz disse...

Nossa Lud, ai ai ai esses textos que vc escreve!!!
Adoro todos.

Por falar nisso, o blog estará de cara nova nas próximas semanas, terei um espaço somente para contos, desejos e fantasias. Escritos por mim e pelos leitores. Que tal a gente colocar um seu lá? Aí fica como divulgação do AMARELINHA também.

O que você acha?
Beijos

Rodrigo e Nina disse...

ufa!!

desculpa a grosseria, mas não tem como não sair de pau duro daqui....hahaha
muito bom esses contos!
bjs

Mααrinα. disse...

Muito bom e real o texto!

(..) Nossa voce gosta de desmaiar? eu demaiei uma vez só que eu me lembre e não quero passar por isso outra vez não O: ASODOASO;

beijoos:*

Teixeira disse...

Oi Lu
Marcando presença aki...
Mando bem como sempre , muito legal essa história Bjs

Bia Mól disse...

meu deus...aqui tá fervendo..ahahah
homens fardados são bonitos, by the way! :P
beijos

Carolina Diniz disse...

aninhaddz@hotmail.com

beijos

Carolina Diniz disse...

tem MEME pra vc no blog...
Beijos

Branca disse...

Bem intenso aqui...gostei!


bjos!

o casalqseama* disse...

hahaha
quando me faço de menininha indefesa, o maridão perde as estribeiras!!!


rsrs
bjão da fê =D

Fernando Amaral disse...

O texto nos deixa algemados.